Agronegócio

Clima pode comprometer milho de segunda safra

Clima pode comprometer milho de segunda safra
Em Mato Grosso, o índice de chuvas ainda tem impossibilitado maiores avanços na semeadura do cereal
O índice de chuvas em Mato Grosso ainda tem impossibilitado avanços maiores na semeadura do milho para a safra 2017/2018, que alcançou 1,4% do total da área na sexta-feira (19/01). No entanto, apresenta o mesmo nível na média dos últimos cinco anos. Para o mês de fev/18 ainda são aguardados bons volumes de chuva em algumas regiões do Estado e, segundo a Somar Meteorologia, a região que pode apresentar maior acúmulo de chuvas neste período é a norte, com 281,0 mm, enquanto que a médio-norte, maior produtora de grãos do Estado, exibe o segundo lugar, com 234,6 mm. As informações foram divulgadas no boletim do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) na segunda-feira (22/01).

Segunda safra de milho

Em contrapartida, a centro-sul é a região que apresenta menor índice pluviométrico, dado a estimativa de 182,9 mm. Apesar de haver chuva abundante em algumas regiões, o acumulado para o próximo mês está apresentando volumes inferiores ao que foi visto no ano passado, o que pode ser um fator favorável para a liberação de área nos avanços da colheita da soja, mas também desperta preocupações quanto as condições de desenvolvimento do cereal a campo para a safra 2017/2018.

Exportações do milho

As exportações do milho no Brasil encerraram 2017 com um volume de 29,2 milhões de toneladas, sendo 33,4% maior que na média dos últimos cinco anos. Mato Grosso, por sua vez, representou 62,5% desse volume, o que corresponde a 18,3 milhões de toneladas enviadas ao exterior. Tal volume exportado em Mato Grosso se deve à safra 2016/2017 ter apresentado recorde de produção, aliado à ocorrência dos leilões públicos, que possibilitou fluidez nos embarques.

Milho mato-grossense

Com isso, as exportações do milho mato-grossense proporcionaram ao Estado uma receita de R$ 2,8 bilhões durante o ano de 2017, o que corresponde a um incremento de 9,1% frente ao que foi visto na média dos últimos cinco anos. No entanto, apesar de 2017 ter apresentado um aumento significativo no volume exportado, o valor praticado no mercado limitou um aumento ainda maior na receita das vendas. Para a safra 17/18, o Imea projeta que Mato Grosso exporte 15,58 milhões de toneladas, ficando aguardados, assim, embarques menores para 2018.

Fonte: Agrolink

Comentarios

Más popular

Hasta arriba