Embrapa lança variedade de soja tolerante à ferrugem para o Cerrado

Embrapa lança variedade de soja tolerante à ferrugem para o Cerrado

Nova semente tem ciclo mais curto e ainda é altamente produtiva, com média acima de 60 sacas por hectare Daniel Popov, de São Paulo A ferrugem asiátic...

Produtividade agropecuária do Brasil é uma das que mais crescem, diz estudo
Tornado atingiu Campinas durante a madrugada(FOTOS)
Fachin manda afastar Aécio Neves do mandato de senador

Nova semente tem ciclo mais curto e ainda é altamente produtiva, com média acima de 60 sacas por hectare

Daniel Popov, de São Paulo
A ferrugem asiática continua trazendo dor de cabeça ao Brasil. Nesta temporada 2016/2017 415 casos foram registrados no país, pior resultado dos últimos quatro anos. Para piorar, a falta de rotação dos agroquímicos fez com que a doença ganhasse tolerância a estes combatentes. De olho neste problema, a Embrapa lançou uma variedade de soja com tolerância à ferrugem, voltada à região do Cerrado brasileiro.
CDE NEWS.
PUBLICIDADE
El mayor medio de comunicacion de la frontera, Ciudad del Leste e Foz do Iguaçu
www.cdenews.com
con FM CDE news
espresas del grupo www.capitanbado.com

Até hoje, as variedades tolerantes a doença foram lançadas para a região Sul do país, que historicamente apresenta um índice mais de casos, explica o pesquisador da Embrapa Cerrados, Sebastião Pedro da Silva Neto. Esta nova variedade voltada ao Cerrado atenderá o Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, parte de Minas Gerais e São Paulo, que juntas são responsável por pelo menos 30% dos casos registrados da doença. “A BRS 7280 RR é transgênica, resistente ao herbicida glifosato, e associa a tolerância à ferrugem asiática da soja”, conta Neto.

Uma das principais vantagens desta nova variedade é que por ela ser tolerante à doença, ou seja, resistir mais a ela, o produtor economiza no uso de defensivos. “O produtor irá economizar, pelo menos, metade das aplicações que sempre faz. Não recomendamos eliminar totalmente os fungicidas, pois o fungo, dependendo do tamanho da infestação, pode adquirir resistência à planta”, comenta o pesquisador.

Ainda pensando nas necessidades de quem produz nesta região, a variedade é de ciclo precoce, ou seja, está pronta em 105 dias e rende uma produtividade média de 60 sacas por hectare. “Quem produz soja no Cerrado, muitas vezes precisa adiar o plantio por falta de chuvas e tentar colher o quanto antes para cultivar a segunda safra. Esta variedade é pensada para isso, pois abre uma janela maior de possibilidades”, diz ele. “Sem falar que rende o mesmo que uma variedade de ciclo normal.”

ALTO PARANA DIGITAL.
PUBLICIDADE: