Otros

Adubação fluída na soja conquista novos adeptos na região centro sul do Brasil

O pacote de vantagens da técnica inovadora que propõe a adução fluída no sulco de plantio da soja em substituição do manejo tradicional está atraindo a atenção de agricultores de todo Brasil. Além do aumento de produtividade, sojicultores e profissionais do setor acompanharam benefícios importantes proporcionados pelo Projeto Pioneiros, que vão desde a facilidade de transporte e aplicação até a redução de poluentes e utilização de maquinários no solo.
10153715_746410602093888_63874911767926281_n
O Projeto Pioneiros, criado e desenvolvido no Brasil pela Nutriceler, foi inspirado nas técnicas norte-americanas de produção e teve início no sudoeste do estado de São Paulo na safra 2013/2014. Foi ampliado na safra 2014/2015, quando incorporou mais agricultores ao seu time de trabalhos de campo. A segunda edição do Projeto contou com mais de 30 agricultores dos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Goiás, em mais de três mil hectares plantados com a tecnologia de fertilizantes fluídos. A média registrada entre as áreas tratadas com a tecnologia Nutriceler foi de 15% de aumento de produtividade.

O agricultor e engenheiro agrônomo Rogério Zart, que cultiva grãos no estado do Mato Grosso do Sul, é um dos novos sojicultores que decidiram aderir à inovação tecnológica. “Há tempos venho me preocupando com a baixa eficiência e custos dos fertilizantes convencionalmente utilizados na agricultura. Já evoluímos muito em outras tecnologias de produção, como o plantio direto, agricultura de precisão, transgenia para resistência a pragas, mas, em relação à adubação, ainda a praticamos como nossos avós faziam”, afirma o agricultor.

Rogério conta ainda que estava em busca de alternativas mais eficientes e vantajosas e que já havia pesquisado sobre a técnica de produção que é desenvolvida nas lavouras dos Estados Unidos. “Minha expectativa é grande. Sabemos que essa técnica, aliada à alta tecnologia, irá impactar diretamente na produtividade e na diminuição de custos da cultura como um todo, considerando a operacionalidade do plantio, relacionada com a otimização das plantadeiras”, ressalta o agricultor que além das lavouras no Mato Grosso do Sul, conduzirá algumas áreas com o Projeto Pioneiros em Porto Nacional, em Tocantins, onde também tem propriedades rurais.

Juntamente com os diretores da Nutriceler, os engenheiros agrônomos Nelson Schreiner Junior e Milton Flávio Moura, Rogério Zart (todos na foto) reuniram produtores e entidades de pesquisa nos municípios de Sidrolândia e Maracajú, municípios sul-mato-grossenses, para a articulação de abertura novas áreas de tratamento com a nova tecnologia. Para a próxima safra, a Nutriceler vai atender alguns agricultores do Mato Grosso do Sul interessados em conhecer a nova tecnologia e também desenvolver trabalhos científicos com as principais instituições de pesquisa do estado.

O diretor da Nutriceler, Milton Flávio Moura, explica que o grande diferencial da técnica é a eficiência dos produtos nela utilizados. “As formulações que o Projeto Pioneiros traz é inovadora e exclusiva. A chave do sucesso é a forma como os nutrientes são apresentados, com estruturas desenvolvidas para que sejam mais rapidamente absorvidas e aproveitadas pelas plantas, sem desperdícios. O Projeto reúne muitas vantagens e nosso objetivo é alcançar na safra 2015/2016 cerca de 50 agricultores para propagação da nova tecnologia e contribuir para a modernização da agricultura brasileira, sem deixar de lado as questões tão importantes que envolvem a sustentabilidade”, afirma o diretor Milton.
FONTE: Cultivar

Comentarios

Más popular

Arriba